Um pouco menos de tecnologia

Depois de uma enxurrada de posts belezinhas, vem uma reflexão. Coisas que eu andei pensando e resolvi falar aqui porque é de graça.




Eu tenho plena noção de que, não fosse pela tecnologia que temos agora, minha vida seria bem complicada. Pra começar, meu namorado mora em outra cidade, nós dois trabalhamos e não tem como nos vermos durante a semana. Sem a tecnologia (whatsapp, e-mail e etc), ia ficar complicado. Mesmo com nós dois preferindo o telefone na hora de se comunicar (telefone pra ligar, ouvir a voz mesmo), apelamos pra esses outros meios.

Minha profissão não teria sentido. Eu trabalho numa empresa de internet. Mais cruel, numa empresa de varejo de internet. Loja online. Sem as pessoas confiando em comprar pela internet, eu não teria o emprego que tenho hoje. A loja nem existiria. Mais um ponto pra tecnologia.

Mas às vezes me dá uma vontade de dar um reset no mundo e voltar tudo a como era há uns dez, quinze anos atrás. Principalmente quando assisto Friends. Eles eram tão felizes, se comunicavam muito bem, tinham relações ótimas de amizade e os laços eram bem fortes. Se reuniam no Central Perk todo santo dia, não conseguiam ficar mais de um dia sem se ver. E não existia smartphone. Não tinha aquela coisa de saber da vida do outro pelo Facebook. Eles queriam era se ver, e quando se reuniam, não era pra ficar cada um no seu celular, no seu mundinho (eu acho essa nova mania uma coisa ridícula. acabou o respeito de parar o que você está fazendo, desgrudar os olhos da porcaria da tela do celular pra ouvir o que a pessoa ali na sua frente tem a dizer), eles conversavam entre eles. Se divertiam, eram felizes mesmo, de verdade verdadeira. Imagina se a série se passasse hoje? Ia ser muito mentiroso se colocassem todos eles sentados naquele sofá laranja conversando, e não vidrados cada um no seu celular. Imagina que porcaria que ia ser.

Hoje as coisas são tão falsas, é tanta necessidade de mostrar que meu relacionamento/casa/férias/compras/roupas/trabalho/vida é tão melhores que o que você tem. E felicidade é a coisa mais relativa que existe no mundo. Eu por exemplo, fico feliz demais quando sei que vou comer uma pizza com borda recheada, me faz esquecer que eu tive problemas. Mas você deve achar bem sem graça e pensar em como eu sou idiota por ficar feliz por isso.

É decepcionante ver como tem família que briga por causa de redes sociais, grupinho de whatsapp (meu.deus.) e fica de birrinha infantil por anos e anos. Era melhor ficar sem saber do que tá acontecendo com o outro, pensar que tá todo mundo do jeito que tava desde a última vez que se viram, naqueeeeela festinha de aniversário.

É nojento (sim, nojento) você tentar falar com uma pessoa e ela ser incapaz de olhar pra você e prestar atenção no que você está dizendo, tudo porque tá falando com outra no whatsapp. Isso é falta de educação, e eu me afasto com o maior prazer do mundo de gente assim.

Eu queria mesmo que, por algum tempo, a gente esquecesse de tecnologia. O que me conforta hoje em dia é saber que esses livros de colorir, que muita gente provavelmente acha perda de tempo e coisa de criança, acaba nos afastando dessa coisa pantanosa de rede social e celular 24h por dia. É uma saída, e faz um bem pra mente que é absurdo. e se eu pudesse falar alguma coisa pra todo mundo agora, seria:

Vida é aquilo que acontece enquanto você tá com o olho grudado no whatsapp. LARGA ESSE INFERNO UM POUCO.

Besocas :)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo