#bloodymariiemCA: Passagens, Hotel e Roteiro

Eu sumi, foi por motivos maravilhosos, e agora, vou contar como foram os planos e etc pra viagem/sonho da minha vida. Se ficar chato, vai ler outro blog. Agora, preparem-se pra overdose de Califórnia nesse aqui!


Desde muito pirralha, sempre quis conhecer a Califórnia, mais precisamente, duas cidades: Los Angeles e Oakland. LA por tudo que é e tem, e Oakland, por ser a cidade do Green Day. Não vou me estender nisso porque aqui não é o programa do Rodrigo Faro, mas era bom pra ser introdução.

Já contei aqui como foi tirar o visto, então, a partir daí, era caçar passagens baratas. Caçar mesmo, porque passagens não são baratinhas e eu não sou esposa do dono da Friboi. Uma dica que eu dou é sempre, SEMPRE ficar de olho no Melhores Destinos. Vira e mexe tem altas promoções boas por lá, pra vários destinos. No nosso caso, o Dri achou pesquisando por fora, no site da TAM. Eram voos com escala em Lima, no Peru, e a escala durava só 1:30h. A maioria dos voos baratos que vimos, tinham escalas malucas, de até 8h de duração. Enfim, pegamos essas passagens. Agora, era hora de correr atrás de hotel.

Antes de caçar hotel, definimos nossas prioridades. O que queríamos conhecer e o bairro que queríamos ficar. Los Angeles é imensa, e cada coisa pode ficar bem longe da outra. Optamos por Hollywood porque 1- é Hollywood e 2- ficava perto de 89% do que queríamos conhecer. Maaas Hollywood é caro, então, foi outra caça pra encontrar um hotel. Achamos o Hollywood Inn Express North, que fica na Hollywood Blvd. Não, ele não era perto de absolutamente tudo, mas era muito mais perto do que hotéis de Downtown LA, o centrão de Los Angeles. Eu indico esse hotel, porque além de ser barato e perto de atrações, o atendimento é bom e os quartos são confortáveis. Ele não oferece café-da-manhã e nem outra refeição (você precisa pagar por elas), mas tem tanta coisa por perto, que você encontra um lugar bom pra tomar um café-da-manhã reforçado. Eu e Dri compramos Yoo Hoo e uns biscoitinhos e deixamos no hotel, pra evitar ficar indo sempre em Starbucks e outros lugares.

Roteiro

Nós resolvemos montar todo um roteiro antes de viajar. Assim, em um dia, conseguíamos conhecer vários lugares. Algumas coisas, nós compramos antes mesmo de ir pra lá, como por exemplo o tour pelos estúdios da Warner (conto tudo sobre ele num próximo post!) e o ingresso pro jogo dos Clippers no Staples Center (outra coisa que fica prum próximo post). Eu acho bem importante traçar um roteiro, você fica menos perdido e assim, uma coisa puxa a outra. Lá, tem MUITA coisa pra conhecer. Ficamos dez dias (oito, porque dois foram em Oakland) e ainda não vimos tudo o que queríamos.

Record Store Day

Acabamos também participando do Record Store Day, um evento em lojas de CD's, onde várias bandas lançam materiais exclusivos para o dia. O Green Day ia lançar o Demolicious, uma coletânea de demos, em três formatos: CD, LP e K7. Escolhemos ir para a Amoeba Music, uma loja de CD's que era o paraíso, o céu na Terra, anjos desfilavam por aqueles corredores. A loja abria às 10:30h, mas chegamos na fila às 8h, por recomendação dos funcionários. E ainda sim, estávamos beeeem atrás de todo mundo (nego DORMIU ali). Eis que tivemos que abandonar a fila pra ir ao Staples Center, mas depois que o jogo terminou, voltamos pra loja pra tentar a sorte. E uma SANTA de uma funcionária maravilhosa conseguiu achar pra gente dois Demolicious em CD. Eu ainda incluo essa mulher nas minhas orações.
O Dri ainda queria tentar o LP, e eu, a K7. Mas a Amoeba tava com tudo esgotado. No dia seguinte que fomos pra Oakland e acabamos passando por Berkeley, a Amoeba Music de lá tinha os dois. Acabamos comprando só as K7 mesmo, porque o LP tava o preço de um rim bom. E viemos felizes e realizados pra casa!
*Em breve, post só sobre a delícia que é a Amoeba. Sério.

Amoeba Music

Mais pra frente tem mais posts sobre essa viagem, as coisas que comprei lá, o que visitei e etc. Continuem ligados!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo