Viciada em The Sims

Nunca fui tão fã de jogos de computador, daqueles que você tem que instalar, esperar carregar, ficar salvando tudo e etc. Mas como pra toda regra há uma exceção, a minha atende por The Sims.


Lembro até hoje que conheci o jogo na casa de uma amiga, e desde então, não parei de jogar. Mesmo o The Sims 1, pra época (em pleno ano 2000), tinha um gráfico impecável, além da ideia do jogo ser genial. É um jogo onde você brinca de várias coisas: de ser Deus, de ser arquiteto, de ser gente grande, se ser o que você sempre quis e não consegue.

Eu adorava a expansão 'O Bicho Vai Pegar', que tinha cachorrinhos, gatinhos e etc. Comparando com os gráficos do The Sims 3, que é o mais atual, o 1 chega a ser bem ruinzinho, é muita diferença! Mas mesmo assim, eu viciei demais, e já cheguei a passar umas oito horas seguidas jogando (aiai férias escolares, quanta saudade) sem nem perceber. Vale salientar que eu só montava famílias com sobrenome Maguire ou Wright, e meus esposos variavam entre Adam, Tobey e...Tré. Não me julguem, me entendam.

Eu não joguei muito o The Sims 2, por falta de interesse e também por não achar lá grandes coisas. Os gráficos melhorara significativamente, mais funções foram acrescentadas, os móveis eram muito mais realistas e tinha o negócio da 'genética', onde dava pra fazer o filho de acordo com as características dos pais. PRA MIM ISSO ERA O MÁXIMO QUE A TECNOLOGIA PODERIA ALCANÇAR, mas não curtia muito jogar, talvez por ser tudo muito detalhado, complicadinho. O que eu achava o máximo era a expansão 'Vida de Apartamento', onde ao invés de casas, dava pra montar/decorar...apartamentos!

Agora vem o amor sublime chamado The Sims 3. Meu Deus, que jogo. Não dava pra dizer que era um jogo, é tudo muito real, muito detalhadinho, muito incrível. Ok que metade do tempo de jogo é montando os detalhes do Sim (rosco, cabelo, estilo do corpo, textura da saia, cor do AllStar), mas é uma delícia. Como tudo é personalizável, dá pra ficar bem parecido com o real, e ainda tem o plus maravilhoso que é: tatuagens. Os Sims podem ter tatuagens!!!! Achei isso o máximo, mas agora pega minha mão e escute meu drama: meu notebook, que eu comprei pensando nas configurações de sistema pra poder jogar bem de boa meu The Sims, não tem uma placa de vídeo compatível. E descobri que o único jeito de mudar isso é comprando outro notebook. E essa possibilidade ganhou mais força com a notícia de que o The Sims 4 sai ano que vem, e eu nunca quis tanto jogar algo na vida desde que saiu o RockBand Green Day. Pelos vídeos divulgados até agora pela EA Games, não é lá taaaanta coisa que muda, mas já é o suficiente pra me fazer querer cometer a loucura de comprar um notebook no meio de uma crise financeira. Vem cá ver o trailer desse jogo maravilhoso:


Então que 2014 pra mim vai ser extremamente aguardado: já tinha True Blood pra voltar, agora tem The Sims 4 pra chegar. Espero que até lá eu participe de uma promoção louca e ganhe um notebook novo, ou melhor ainda, que eu fique milionária e compre.

Plus: meu TCC da faculdade foi sobre o conceito do The Sims 3, sobre toda essa coisa de bancar Deus num jogo, criar e manipular uma vida que você queria ter e etc. Só quis avisar.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo