Coisinhas irritantes


Não é de hoje que as coisas me irritam, mas ultimamente tudo tá tendo uma dimensão bem maior, e eu não sei exatamente porque. Desde coisas minúsculas, até situações que não tem nada a ver com a minha vida, tudo tá me irritando, tudo me deixa à ponto de socar uma parede, tudo mesmo.


Cheiro de cigarro, que eu fui obrigada a aturar durante toda a minha vida graças à pais fumantes, ultimamente eu tenho me recusado a ficar num lugar que esteja impregnado com esse cheiro. Já me irritava, incomodava e atacava ainda mais minha alergia, agora, tá pior, bem pior. Eu realmente entendo que você tenha seu vício, mas não me obrigue a compactuar e nem ficar por perto de alguém que tenha esse cheiro. É incrivelmente chato você lavar o cabelo e, em questão de minutos, sai o cheiro do shampoo e fica o cheiro dessa praga. Já não bastasse o cheiro extremamente desagradável, essa porcaria ainda mata.

Batucadas e assobios, nada consegue me deixar mais nervosa. Batucada com os dedos, ou pior ainda, quando ficam batendo o pé forte no chão, eu só consigo pensar nessa cena. Assobio, eu tenho muita raiva, e muita vontade de enfiar uma batata na boca de quem insiste com esse barulho irritante.
Bônus: gente que canta alto, do seu lado. Não gosto, por favor, respeite que você está num local público e que ninguém é obrigado a te ouvir cantar. Pra isso, tem o The Voice. Me presenteie com seu silêncio.

Má educação, e nisso se encaixa pessoas que não respondem à cumprimentos. Sabe, eu entendo se você não vai com a cara da pessoa, ninguém agrada à todos, mas custa manter a cordialidade? Eu acho que não. Nada mais chato do que, quando alguém se dispõe a te cumprimentar, você ignorar, não responder. É feio, parece que tua mãe não te deu educação. Vale também quando você se esforça pra ser agradável e conversar, e a pessoa simplesmente te eliminar da conversa, virar de costas pra você e etc. Aprendi a contornar a situação cutucando a pessoa que não me responde e cobrando um bom dia.

Cumprimentar com beijinho, olha, eu entendo de verdade que não é por mal e que a pessoa tá querendo ser gentil, e eu acho legal essa intenção. Mas eu não sou uma pessoa que curte contatos físicos assim, e eu não me importo de um oi de longe, sei que a intenção vai ser a mesma. E quem abraça então? Eu fico parada, sem reação, porque não gosto.

Ainda existem muitas outras coisas, e como me falta tempo de ir num terapeuta, eu escrevo aqui.
Pra 'melhorar', eu escuto música, tento lembrar de cachorros simpáticos e outras coisas. Às vezes resolve, às vezes não. Um dia de cada vez.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo