Tatuagem: onde dói mais?

Já falei sobre tatuagem aqui, mas hoje o meu foco é na dor. E vou me basear em mim, no que eu senti, nos lugares onde tenho tatuagem. Lembrando sempre que a dor é relativa, onde dói em mim, pode não doer em você e vice-e-versa. Vem com a tia!



Eu ainda tenho só cinco tatuagens, mas já tenho base pra falar da dor que elas causam. Levem em consideração também que eu sou bastante tolerante à dor (por incrível que pareça), então, volto a repetir: pode ser que o que não doeu em mim, doa em você.

Pulsos e parte de dentro do braço


As patinhas ficam no "lado" do pulso, e foram muito tranquilas de fazer. Senti um pouco quando chegou perto desse ossinho que temos no pulso, mas não me fez dar aquele gritinhos de dor. A estrela fica na parte "de cima" do pulso, pertinho da mão, e eu não senti absolutamente nada (essa foi a minha primeira, então imagine você, eu vi que não doía, logo, comecei a vontade de me tornar um gibi). A "You Only Live Once"¹ fica na parte de dentro do braço, e eu senti cócegas. Talvez pela letra ser bem fininha e pela tatuagem não ser grande, eu tenha sentido só cócegas, porque já ouvi muita gente dizer (inclusive o tatuador) que esse local incomoda um pouquinho.

¹ Essa You Only Live Once tem uma história toda pro trás. Foi um pagamento duma promessa, e vem da música dos Strokes, que é a minha favorita, etc etc.

Nuca e costela


A Kerplunk tá na minha nuca (que ficou deformada na pose pra foto) foi outra que todo mundo disse que eu ia chorar de dor, e eu...não senti nada. Na verdade, na parte das pétalas de cima, senti um pouco, mas o resto foi tão tranquilo que eu nem percebi que tava sendo tatuada. Essa caveirinha fica na minha costela e, fios, nós precisamos conversar. Um dia, acordei e pensei "tatuagem na costela deve ficar bonito, né?" e fui pegar um desenho que eu tinha feito há anos, mas ainda não tinha achado lugar pra tatuar. A minha ideia original era essa caveirinha ~LETTERBOMB~ outra caveirinha. Meu tatuador alertou que "fia, aí dói. Não é que arde, aí dói, é dor que derruba uns nego". Mas eu, teimosinha, falei pra começar, se doesse parava, enfim. Como vocês podem perceber, tem só a caveirinha. Ainda não terminei, o que foi bom, porque mudei de ideia sobre o que escrever. Mas se querem saber, é dor. Dor forte, uma dor que parece que tem uma agulha entrando na sua costela e que nunca mais vai sair. Mas tenho que admitir que é uma dor na duração da tatuagem, daí depois fica só doloridinho (a não ser que alguém te dê uma bolsada na costela no metrô, dois dias depois da sua tatuagem ter sido feita. Aconteceu comigo, doeu, segurei o choro de dor, mas passou). Até hoje não marquei retoque e ainda não marquei pra terminá-la. Pretendo fazer isso mês que vem, vai pra minha bucket list de julho.

O que me dá preguiça de tatuar, vou confessar aqui pra você, é o pós tatuagem. Não pode comer chocolate e nem atum, e não que eu seja chocólatra (acho que existem vários doces melhores que chocolate, tipo doce de leite e suspiro), mas é sempre quando eu não posso comer, que me bate aquela vontade. E atum, eu adoro. Como patê de atum quase todos os dias, é complicado ficar sem.

Mas ó, tatuagem é algo que eu recomendo, obviamente se você já tem 100% de certeza do que quer fazer, porque vai ficar eternamente nessa sua pele de pêssego né fio.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo