Profissões que deixei pra trás

Durante toda a minha vida, já pensei em seguir muitas profissões. Hoje acabou que sou webdesigner, mas já pensei em ser tanta coisa que chega a ser cômico. Então, listei as profissões mais cotadas na minha vida, balanceei os prós e os contras e resolvi que ia contar pra vocês. Vem comigo.



Publicidade
Pró: Roberto Justus, riquíssimo, é um | Contra: você não é o Roberto Justus

Eu me lembro de quando assisti o filme "Avassaladoras" pela primeira vez. Deveria ter meus 14, 15 anos, e vi a personagem da Giovanna Antonelli numa escrivaninha linda, numa agência linda, trabalhando na capa de um livro e dizendo com muito orgulho que trabalhava numa agência de publicidade. Ela ainda tinha um New Bettle, o que completou minha vontade de: ser publicitária. Eu realmente achei que minha vida seria aquilo, de montar capa de livro, sair na hora que eu quisesse no meu New Bettle vermelho e que seria riquíssima, frequentando as mesmas festas da Narcisinha. Trabalhei sim em agências, e a realidade é dura, escrava e paga mal. E não tem New Bettle.



 Área de T.I.
Pró: você pode trabalhar como freela, em casa | Contra: não vai dar certo e você vai ter que se virar em agência

Quando resolvi fazer faculdade de Web Design, o que mais me convenceu foi o fato de poder trabalhar por conta própria. Uma jornada flexível, ser minha própria chefinha e poder trabalhar de casa me chamou a atenção e eu resolvi que ia ser isso. Ledo engano. Tentei sim, e por muito tempo, ser só freelancer. Eu admiro quem consegue se dar bem nessas, porque eu não cheguei nem perto do sucesso. Trabalhos escassos, o dinheiro que não vem sempre e muitos 'mas tudo isso só por um site?' desanimam e te fazem querer desistir da vida. E um plus: as agências são menos legais com quem sabe programar.

Moda
Pró: você pode criar suas próprias roupas e comercializá-las | Contra: vão te achar ridículo e você vai vender bem menos do que a loja de roupas de biscate daquela menina que estudou com você

Desde muito criança eu fazia roupinhas pras minhas bonecas, desenhava roupas e ouvia da minha avó que eu deveria ser estilista, que eu levava jeito. Sempre tive meu estilo de me vestir, até hoje customizo roupas e etc, então achei que realmente aquilo seria uma boa, Stella McCartney que se cuidasse comigo. Mas fazer Moda sai caro. A faculdade era uma fortuna, materiais eram carinhos e a paciência de ter que trabalhar com quem usa uma caixinha de ovo como bolsa tinha que ser infinita. Eu vi que não rolaria, e que era melhor ficar na minha, fazendo minhas roupas e meus desenhos pra mim mesmo.

História
Pró: é uma matéria incrivelmente rica e parada, fácil de estudar | Contra: você não é o Ross Geller, não vai se manter bem

Eu sempre adorei História, e até hoje adoro. Era uma das poucas matérias que eu me dava bem no colégio, sempre me interessei muito (principalmente pela história da Ditadura Militar no Brasil) e cismei que queria ser arqueóloga ou paleontóloga. Eu me via como Sidney Fox de "Caçadora de Relíquias" ou até mesmo como Ross Geller escavando coisas, estudando ossos e interpretando hieroglifos. Mas aí a realidade me disse "estudando História, no Brasil, vai te tornar professora" e sério, fiquei triste. Infelizmente o campo de pesquisas por aqui ainda é fraco, e acaba destruindo sonhos de pessoas que, como eu, queriam dedicar à vida à escavações e pinceizinhos.

Veterinária
Pró: trabalhar diretamente com bichos, um sonho | Contra: costurar a barriga deles e medir a temperatura pelo rabicó

Desde que me entendo por gente, adoro bichos. E desde que me entendo por gente, eu falava que queria ser veterinária, porque queria "cuidar dos bichinhos doentes". Quando você é criança, qualquer profissão é linda e vai te fazer rico, mas daí você cresce, chega na idade de acompanhar seu cachorrinho até as consultas veterinárias e...vê tudo aquilo. É a temperatura sendo medida pelo rabicó (se eu fosse veterinária, avisaria 'ó felpudo, tô fazendo isso pelo seu bem, tá bom?' só pra não causar um clima), é dedo na ferida, costurar barriguinha de cachorro fofo e etc. Desisti quando vi meu cachorrinho com esparadrapo de soro na veia da patinha, vi que não ia rolar eu colocar um cachorro no soro.



Agente do CSI
Pró: um trabalho excitante e desafiador | Contra: você não é personagem do J. J. Abrams

Adoro séries investigativas, mas é bem sem graça assistir qualquer uma delas comigo porque eu sempre descubro o assassino até o minuto 10. Tendo isso em vista, pensei 'porque não ser uma agente do CSI??'. Fui atrás de química forense, daí descobri que eu era péssima em química. Fui saber como funcionava a vida de um investigador no Brasil e olha, a AXN me enganou bonito, porque não é só de um caso por semana que eles vivem, é de vários e por dia, dá nem tempo de resolver os conflitos pessoais.





Charlie's Angel (Pantera)
Pró: você vai ser rica e sempre linda | Contra: você não é a Drew Barrymore e o Charlie é ficção

"As Panteras" é o filme mentiroso que eu mais gosto na vida. Sempre que assisto, fico pensando porque não existe um Charlie disposto a me transformar numa máquina para matar. Ser rica, linda e ter carrão é um status que as panteras atingem e nunca mais saem (vide a ex-pantera que a Demi Moore faz no segundo filme, surfando na Califórnia e entrando em sua Ferrari). Dói saber que isso é só história, que nenhum milionário louco estaria disposto a pagar treinamento pesado e um estilo de vida luxuoso pra três meninas. Dói.







Hoje sou webdesigner, e às vezes me arrependo um pouco da escolha (PHP é bem chatinho e tals), mas gosto muito do que faço. Nem sempre a profissão dos seus sonhos é o que vai te fazer rico, mas se te satisfaz, é o que vale. Né?!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo