Resenha do iUno! - Green Day (Parte 1 de 3)

Vamos resumir: se eu pudesse mandar nisso, meu coração bateria no ritmo de qualquer música do Green Day. Sou muito fã, mas não sou idiota, ou seja, não é qualquer coisa que eles fizerem que pode me agradar. Não sou daquelas que falam "tá ruim né, mas se é Green Day eu gosto" porque, bem, eu não gosto. É tipo coisa de filho, você sabe que ele pode fazer o melhor, então você cobra, espera nada mais do que o melhor. Em Setembro de 2012, eles lançaram iUno!, primeiro CD de uma trilogia, e eu tava com um medinho do CD ser ridículo (graças aos dois singles lançados antes do CD, mas isso explico melhor já já).


Bem, não foi. Graças a Deus, não foi. O começo, com Nuclear Family, faz a esperança voltar, os pássaros voltam a cantar felizes e a vida tem seu sentido de volta. É rápida e dá o tom do CD, mostrando que mesmo diferenciando de todos os trabalhos antes feito, o Green Day é bom.
Stay The Night é daquelas músicas que dá vontade de pegar no colo e prometer ficar junto pra sempre. O começo me lembra 'You Shook Me All Night Long' do AC/DC, mas pode ter sido um devaneio meu. A letra é a mistura que poucos compositores conseguem obter sucesso: palavrão com declarações de amor e frases bonitinhas. Billie Joe consegue sucesso, e apresenta uma música leve, diferente da primeira faixa, e ainda sim de alta qualidade.
Já em Carpe Diem (frase presente em tatuagens em vadias próximas à você), a mensagem é "we are too young to die", e eu devo dizer que a letra me lembrou um pouco "I'll Be There For You", a de Friends (posso estar em devaneio novamente), com essa coisa de narrar situações e mostrar alguma solução. O refrão deve ser ótimo pra ser gritado em multidão, e em algum show deve ser uma maravilha (eu uso gírias caducas mesmo).


Let Yourself Go é uma das minhas favoritas! É rápida, agressiva e livre. É uma frase que pondero tatuar um dia, e é uma música que eu escuto quase sempre. Tem um vídeo da banda tocando ao vivo em um show secreto que fizeram, e é uma coisa linda. Me lembra bastante um Green Day na época mais Nimrod¹, aliás, o CD inteiro me remete à Nimrod, o que não pode ser algo ruim.
Kill The DJ é a música boa pra banda errada. Caberia em qualquer banda indie que quer dominar pista de dança, mas não no Green Day. Eles tentaram imitar sem dó o The Clash, mas saiu bem...estranho. É extremamente dançante, e tem um clipe podre. Foi um dos singles lançados antes do álbum, e foi uma das razões pra eu temer o CD.
Fell For You é a café-com-leite-bonitinha, a letra remete à receita de Stay The Night: palavras feinhas combinadas com frases bonitinhas e BAAM, música fofa.
Loss Of Control me ganhou por ser 'mal educada', que xinga sem parar e é berradinha. Devo dizer que ADORO gritos de Billie Joe nas músicas, curto quando ele quer esfregar na nossa cara que, mesmo com 40 anos, é rebelde sim, grita sim e ofende sim.
Troublemaker não deveria ter um vídeo tão bom. É uma letra pobre, digna de um rapper em início de carreira, que se sente na obrigação de falar de mulher. Em questão de melodia, é ótima, mas meu Deus, que letra ridícula. *ouça enquanto assiste esse vídeo, tire o áudio do vídeo e escute apenas Troublemaker. Acho que combina*
Angel Blue é uma boa música, mas que acaba ficando apagada, o que é uma pena. Outra com misturas "you're a princess, i'm a fucking clown". Nada mais a dissertar sobre. (nunca sei o que dizer quando não tenho o que dizer.)

Sweet 16 é fofa porque foi feita pra Adrienne, esposa do BJ. Acho lindo quando alguém faz música pra quem ama, mesmo depois de tanto tempo juntos, ainda mais uma música tão bonitinha quanto essa. É calminha, fofinha, um amor.
Rusty James é outra música que merecia destaque! Tem uma melodia inteligente, a letra é boa e é a cara da banda. Merecia clipe, maior divulgação e tudo o que tem direito.
Oh Love me fez perder a fé no Green Day durante um tempo. Todo mundo esperou a vida pelo lançamento do single que levaria os fãs de volta para a era Dookie e o que saiu foi Oh Love, uma letra preguiçosa e uma música 'nas coxa'. A melodia, eu acho bem chupada de algum b-side ou do American Idiot ou do 21st Century Breakdown. Me decepcionei porque esperei muito por algo inovador, genial, mas ao mesmo tempo, Green Day, e essa música tá bem longe disso. Eu fiz de tudo pra me acostumar com ela, até botei de toque de celular, mas sei lá, até hoje ela não me agrada muito.



¹ - Nimrod é o quinto CD de estúdio do Green Day. É dele que vem a famosa Time Of Your Life.

Fiz a resenha nada imparcial, posso estar influenciando quem for ouvir pela primeira vez, mas é o que sempre achei do CD. É ótimo, escuto com frequência e indico sem dúvidas.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários sujeitos à aprovação.

Topo