Centros

Eu não sei de onde vocês são e não conheço muitas cidades desse Brasil, mas uma certeza que eu tenho é de que não existe nada mais peculiar do que o Centro da cidade.O Centro de São Paulo deve ser o mais peculiar do país, se não do mundo, e eu lhes digo o porque contando de uma situação que vivi hoje.
Eu precisava tirar uma xerox meio que urgente e só haviam livrarias e lojinhas de doces em volta, daí fui perguntar prum policial onde que tinha algum lugar que tirasse xerox. "naquela banca ali", apontou o Sr. Policial, e lá fui eu. Entro na banca e já pergunto 'quanto que tá a xerox?' (não que eu tivesse disposta a negociar uma xerox, mas é uma cordialidade) e pra minha surpresa o atendente estava só cheirando cocaína num espelho, desses de pendurar na parede. Foi muito agradavél explicar o que eu queria que fosse copiado, pagar e ainda agradecer pruma pessoa que ainda carregava pó branco no nariz.

Probleminhas

Sei que eu ainda sou jovem, mas vou falar com tom de tia: a juventude de hoje me dá nojo. Não guento ver menina de 16 anos com tudo reclamando que a vida é uma porcaria. Sabe, ler tweet enviado de iPhone "eu só queria dormir pra sempre" por causa de macho é ridículo. Falar que tem problemas porque o menininho que você gosta não sabe da sua existência, sendo que você é chatinha e nem fala com ele, muito menos sobre o que você sente, é desprezível. Você tem 16 anos, você não tem problemas, você é uma adolescente, passa por coisas, mas problemas você tem quando você cresce. Falta de dinheiro, stress no trabalho, contas e etc etc. ISSO É PROBLEMA, MINHA FILHA.

Let yourself go, let yourself go, let yourself go

Cara, que medo que eu tava de ouvir o iUno!, CD novo do Green Day. Ia esperar pra ouvir o CD físico, mas como a previsão é que ele só chegue no dia 01 de Outubro, eu não me aguentei. Ouvi. E meu Deus, lembrei porque amo tanto. Tá ótimo, tá Nimrod., tá melhor que o anterior. Sério, minha vontade é de sair gritando pelas ruas o quanto eu amo essa banda. Achei que fossem me decepcionar, mas não, me fazem amar mais ainda. Típico caso de amor, tórrido.
Hoje fiquei pensando em coisas que eu sempre gostei de fazer desde que eu era criancinha. São elas: desenhar, escrever (textos, poeminhas, músicas), fotografar, pintar, criar coisas pra decorar aqui em casa, fazer minhas próprias pulseiras e outros acessórios. Cheguei à conclusão que sou uma artista.
Quando eu tinha meus 11, 12 anos, eu dei uma afofada. Nunca fui ó obesa, mas eu afofei, isso é fato. Até então, eu não via problema nisso, eu tava bem, eu era uma criança (saudades da época que com 12 anos as crianças brincavam e não engravidavam). Só que com meus 13, 14, minha auto-estima começou a ficar um pouco abalada. Só que havia um problema: não rolava eu fazer dieta e nem muito menos eu entrar em academia. A dieta não dava certo porque, bem, eu não como absolutamente nada verde e eu sou um pouco viciada em Coca-Cola. E até porque eu achava meio doente fazer dieta com 13 anos, a não ser que minha saúde dependesse disso. Quanto à academia, fui uma única vez e saí brigada com o instrutor (motivo: eu queria ficar bem tranquila na esteira assistindo clipes da Mix TV e fazendo o meu ali, ele queria que eu fizese a Solange Frasão. Começou um clipe do Maroon 5 e eu diminuí a velocidade, ele ficou nervoso, queria mandar em mim e eu falei "olha amigo, não vou te obedecer não hein" e ele disse que assim ficava difícil e eu saí). Ou seja: eu só emagreceria por um milagre divino. Eis que, com meus 15 anos, eu comecei a estagiar, e uma das minhas tarefas no estágio era só carregar computadores de um prédio pro outro. Eu não ligava, achava o máximo, e ainda comprava trufas com desconto, comia umas quatro durante a labuta. E foi a partir daí que eu comecei a emagrecer. Tinha gente que me perguntava qual dieta eu fiz, qual nutricionista eu passei e até quem tava me vendendo cocaína, porque foi...estranho. Assim, não que eu seja A MAGRA, não tenho nem estrutura pra isso, mas eu emagreço muito fácil, e minha alimentação é, por resto do mundo, uma porcaria, e pra mim, é maravilhosa. Se eu posso dar uma dica, é essa: chuta o balde. Ficar se perguntando se você pode ou não comer a barrinha de Suflair não é vida, comer é uma arte e você merece ser feliz.


Se a Monica conseguiu, você consegue também.

Eu ♥ pessoas

Não que eu seja uma pessoa DA GENTE, não é por nojo nem nada não, só não curto muita gente me manjando, sou discretinha mesmo, mas se precisar eu socializo, sem problema nenhum porque não sou anti-social. Mas eu tenho que admitir que eu ♥ pessoas. Elas me divertem por serem tão ingênuas e por inventarem e ACREDITAREM em cada papinho, que minha vontade é pegar no colo e abraçar. Um exemplo que acabou de acontecer: eu moro perto de um Carrefour, e a Coca daqui de casa acabou. Falei que tava indo ao mercado comprar e meu pai me avisa que o Carrefour tava fechado desde de manhã. Agora vem a parte linda: os boatos que pipocaram.
1) Disseram que havia um defunto no mercado, fecharam pra despachar corpo.
2) (meu favorito) Disseram que o DONO DA REDE CARREFOUR ia fazer uma visitinha, então eles estavam limpando tudo, deixando tudo lindo e botando um sorriso na cara de cada auxiliar de caixa.
3) Disseram que foi problema com a vigilância sanitária.
Logo que reabriu, fui lá (porque eu precisava muito da minha Coca), e não vi defunto, não vi o mounsier Carrefour, não vi a vigilância sanitária. A única coisa que eu vi foi vendedoras repondo as margarinas.
Pior de tudo? Teve gente que acreditou em algum boato desses, e pior ainda: em todos eles.

Eu ♥ pessoas.

Garotinha Rica

Hoje, quando eu tava voltando duma entrevista e ouvindo minhas músicas, pensei "quando eu conseguir o emprego, meu toque de celular vai ser Rich Girl, pra denotar meu dinheiro". Mas como eu já percebi que minha vida acha que tudo pra mim era fácil demais e resolveu botar obstáculos pra no final eu receber o diploma de FIGHTER, é possível que eu não consiga, temos de trabalhar com todas as hipóteses. Daí pensei "pra que esperar o dinheiro? eu boto esse toque e vai que isso atrai o dinheiro até meu bolso né?" e kazam, meu toque foi de Ooh Ooh Baby pra Rich Girl. Porque se eu fosse uma garota rica, nanananananana, eu teria todo o dinheiro do mundo, se eu fosse uma garota de posses.

+1

Eu achando que a única coisa que me irritava de verdade em "Avenida Brasil" era a trama Nina~Jorginho, mas hoje descobri que tem algo pior: as crianças do lixão da mãe Lucinda. Queria entender o porque desse núcleo, aliás, queria entender o porque de mãe Lucinda. Engraçado como todo mundo "bonzinho" dessa novela é chato, e eu torço pra que se ferre no final. Os vilões são bem mais interessantes. Keep Carminha Alive.

Compras

Eu tenho mania de pra tudo fazer uma lista. Sou cheia das listas, até lista do que levar pra fila de show eu faço, mas devo admitir que isso faz com que eu não me esqueça de nada. Uma dessas listas se chama "O que comprar com o salário", que vai deixar de ser lista quando...eu ganhar um salário. Comecei a criá-la há sei lá, uns cinco meses, e hoje fui ver como é que tava. Resultado: de sete itens, eu não compraria seis. A única coisa que eu compraria dali é um jogo com 4 descansa copos de Tru Blood, e ainda porque é do Brasil e o frete é grátis. Queria entender o que se passava na minha cabeça há cinco meses atrás pra realmente almejar uma meia-calça de caveiras de R$70,00 e uma blusa com capuz e tudo do Soft Kitty, warm kitty, little ball of fuur de 40 doláres. Nem comento um delineador da MAC de duzentinhos e nem um colar que eu não entendo ainda porque marquei. Mas é isso, mudei as prioridades, e a única coisa que penso em comprar, de verdade, com o salário, é um livro que eu tô louca pra ler.

Parabéns.

Sou péssima em parabenizar as pessoas no dia do aniversário delas. Eu já sabia dessa minha deficiência, mas hoje comprovei. É aniversário de uma amiga que conheço há mais tempo do que conheço as maledicências da vida e eu simplesmente não sabia o que falar. Fiquei no básico "Feliz aniversário, muito sucesso e felicidade, beijo." mas não era bem isso que eu queria falar. Eu queria falar que ela foi provavelmente a primeira amiga de verdade que eu fiz, que todas as nossas lembranças tem risadas no meio e que eu sinto muita falta da época em que éramos mais próximas. Mas eu não consigo, é um bloqueio, sei lá. É meio óbvio que eu desejo tudo de bom pra ela, mas é o que eu consigo falar. Então, fica de dica pros meus amigos e familiares: quando eu escrevo "Feliz aniversário, muito sucesso e felicidade, beijo." é porque eu quero dizer que você é especial pra mim, de alguma forma você marcou minha vida e vai demorar muito, e talvez eu nunca me esqueça de você. Se eu não te der parabéns é porque não vou com a sua cara mesmo (eu faço isso, ignoro muito aniversário, às vezes por preguiça e às vezes porque minha mãe não me criou pra eu ser falsinha).
Sonhei que os meninos do Green Day me chamavam pra cantar no palco com eles. Eu subia e eles perguntavam o que eu queria cantar, e eu falava 'Scattered'. E eles "mas a gente não toca Scattered, escolhe outra" e eu "mas é por isso mesmo, porque vocês não cantam, eu quero essa!" e eles começavam a brigar comigo. Eu, triste e desolada, resolvia sair do palco, mas não antes de pegar o microfone e puxar o coro "WELL I'VE GOT SOME SCATTERED PICTURES LYING ON MY BEDROOM FLOOR" e geral cantava junto comigo, pra raiva da banda. Acordei rouca. Tem alguma ligação? Significa alguma coisa?
Não que eu seja uma pessoa negativa, até porque acredito muito nessas paradas de "o que você pensa é o que o universo te manda" (li "O Segredo" umas trezentas vezes e tals), mas ultimamente uma onda de bons sentimentos me atingiu. Não tô reclamando não, mas foi tão do nada que...nossa. Em tempo: daqui uma semana começa meu inferno astral, e eu realmente espero que essa onda tão boa continue. Vamos continuar torcendo.
Tô pensando em eliminar coisas ruins da minha vida, e minha primeira atitude é diminuir mais do que pela metade a minha lista de coisas que eu odeio, ou quem sabe passar pra lista de coisas que eu apenas não curto, mas deixo passar, a vida é curta demais pra se preocupar com coisas pequenas, etc etc. Então vamos lá.

Gente efusiva - Não rola, não consigo com gente assim, a convivência fica difícil, é muito diferente do que eu sou e do que eu posso aceitar. O que eu posso começar a fazer é ignorar. Me conhece há dois minutos e já me chama por apelido que nem meu namorado me chama? Fazer o que, ignoro. Fica me tocando, quer abraçar a todo custo? Ignoro, a pessoa abraça, eu não sou obrigada a abraçar de volta. Pergunta coisa íntima demais e insiste em saber a resposta? Ignoro com maestria, mudo de assunto pra "e o The Voice Brasil hein?". Pelo menos não me estresso com essa massa que eu gorfaria na cara. Ignorando, e vivendo, e sorrindo.
Militantes - Não consigo entender pessoas que saem de casa pra ficar o dia inteiro marchando por tal causa. Respeito, acho que todo mundo tem que acreditar numa coisa, mas achar que sair nas ruas vai resolver alguma coisa é de uma inocência que não sei se me irrita ou se me comove. Não consigo entender, então vou parar de tentar. Só vai me estressar e eu não preciso disso, eles que se estressem quando perceberem que isso não dá resultado nenhum. Sigo ignorando.
Blogueiras de moda - São cafonas, ganham, trabalhando de casa, o que eu não consigo ganhar em meses de trabalho, querem porque querem ditar moda etc etc. Ignoro. Não preciso gastar R$200,00 numa blusa étnica com estampa de elefante pra ficar na moda só porque elas mandam. Eu nunca segui moda de ninguém a não ser a minha, sempre me vesti pra mim e não pras grandes blogueiras de moda. Ignoro também. Enquanto eles gastam esses R$200,00 numa única blusa, eu compro uma calça jeans bacana, uma blusinha descolada e ainda sobra prum ingresso de banda boa e pruma promoção do McMelt.
Facebook - Me irrita, mas eu gosto. É caso de amor e ódio, aliás, tô sendo injusta nesse tópico, porque o problema não é a rede social em si, são as pessoas que a integram. E não vem falando que é o povo do orkut que migrou pra lá, porque o orkut foi uma rede social tão boa que o FB nunca vai conseguir ser. Minha solução? Bloquear atualização, não aceitar os pedantes, nem por cordialidades e seguir postando o que eu quiser, sem deixar ninguém me censurar.

Começando assim até que tá bom, vamos com calma.

Continuação

Eu tinha um blog no Wordpress, mas enjoei de lá porque curto a simplicidade do Blogspot. Vou exportar todos os posts do WP pra cá, prometo, mas vamos começar um ciclo novo aqui, juntos? Vamos! E ah, desativei comentários pra vocês terem a certeza de que não tem obrigação de comentar. Mas, se quiser falar qualquer coisa, vai no 'Perguntas' ali em cima e fica à vonts.
Topo